Ministro de Bolsonaro se articula para manter nicho de poder no INSS

Enquanto a equipe técnica da transição que trata sobre Previdência se desdobra para fazer o diagnóstico sobre os principais problemas da previdência social brasileira, servidores informam que o atual Ministro da Previdência e Trabalho, José Carlos Oliveira, servidor de carreira do INSS e apoiador incondicional do Presidente Jair Bolsonaro, articula via frente ampla, manter seus espaços de poder no INSS.

A informação vem dos servidores do órgão que tem procurado o Sindicato para denunciar a articulação política que o Ministro vem fazendo e, segundo essas fontes, estaria aproveitando para discutir a manutenção do seu nicho de poder no INSS, em especial na superintendência do Instituto em São Paulo. Ainda de acordo com as informações, ele teria avisado para a sua equipe na Autarquia “para ficarem tranquilos, pois todos permanecerão onde estão”.

A Revolta é generalizada na categoria, que reivindica que o Governo Lula faça uma limpa no órgão, afinal, segundo os servidores, foi esta equipe que auxiliou na política de sucateamento do INSS, com o represamento de 5 milhões de benefícios, fechamento das agências, indeferimento automático, restrição do atendimento presencial à população, restrição do acesso aos serviços do Instituto e aumento generalizado de intermediários dentre outras maldades.

Oliveira se licenciou do INSS logo após a vitória de Lula em 2003. Durante o período do seu afastamento, exerceu atividades em gabinetes de partidos que atualmente compõe a base de sustentação do governo Bolsonaro.   Com participação ativa nas manifestações de rua que culminaram no Golpe da ex-Presidente Dilma Rousseff, retornou ao INSS 13 anos depois, em agosto de 2016, no governo do golpista Michel Temer para exercer o Cargo de Superintendente do INSS do Estado de São Paulo.

Daí por diante, Oliveira, que fez questão de não trabalhar nas gestões petistas trabalhou para sua ascensão dentro do órgão e virou Diretor de Benefícios do INSS e meses depois passou a Presidente na gestão de Ônix Lorenzoni. Ao se desincompatibilizar para concorrer ao cargo de Governador do Rio Grande do Sul, Ônix Lorenzoni, fiel escudeiro de Jair Messias Bolsonaro, indicou Oliveira para ser Ministro da Previdência e Trabalho em detrimento do seu substituto automático, secretário executivo.

Servidores registram ainda que o Ministro da Previdência e Trabalho tem uma única preocupação: resolver os problemas com os órgãos de controle dentre os quais os superfaturamentos em contratos de vigilância eletrônica da Superintendência de SP (Sudeste I) no período em que ocupava o cargo de Superintendente e da Superintendência do Nordeste, detectados pela auditoria do Tribunal de Contas da União.

Diante desses fatos, a categoria começa a se movimentar para combater o oportunismo do Ministro José Carlos Oliveira, homem que esteve lado a lado de Bolsonaro, em especial durante as eleições.

Redes Sociais
Redes Sociais
Redes Sociais

 


SINSSP realiza reunião com trabalhadores da SPPREV

O SINSSP realizou uma reunião na última segunda-feira (05), com a equipe de organização dos trabalhadores da SPPREV, para tratar de dois temas importantes para a categoria: pagamento do bônus de 2020 e a reestruturação da carreira.

BÔNUS 2020 - Referente ao pagamento do bônus exercício 2020, embora em reunião anterior realizada com membros do governo eles já tenham antecipado que não haveria tal pagamento, o sindicato recebeu informações de que existe um processo administrativo tramitando sobre o tema e que abre precedentes positivos para o pagamento da bonificação.

Diante disso, o SINSSP enviou um ofício na semana passada pedindo informações sobre esse processo, mas até o momento o documento não foi respondido.

O diretor do departamento jurídico do SINSSP, Rogério Alonso, orientou que se não houver uma resposta por meios administrativos, o sindicato entrará judicialmente para questionar o não pagamento do bônus.

Como ainda existe a possibilidade do pagamento pelo campo administrativo, por conta do processo que está tramitando, ficou encaminhado o envio de um novo ofício solicitando uma audiência com o presidente da SPPREV para questionar o andamento dessa demanda e verificar se tem previsão orçamentária para o pagamento da bonificação.

REESTRUTURAÇÃO DA CARREIRA - Sobre a reestruturação da carreira dos trabalhadores da SPPREV, o presidente do SINSSP, Pedro Totti, lembrou da importância de discutir temas essenciais que deverão constar no documento tais como a progressão, a promoção, quantidade de cargos, formas de ingresso na categoria, dentre outros pontos.

Ficou encaminhado a montagem de uma comissão para tratar exclusivamente da reestruturação da carreira, que será anexada na pauta de reivindicação da categoria, devendo ser entregue no início do próximo ano para abrir a discussão junto ao governo.

Como estratégia para abrir o debate da carreira da SPPREV com toda a categoria, o sindicato se empenhará para realizar um seminário, no intuito de que haja a exposição dos estudos preliminares, elaborado pelo grupo de trabalho responsável pelo tema, tal grupo será composto por trabalhadores da autarquia e sindicato.

Diante do exposto acima, fica claro que teremos muito trabalho pela frente, com muitos desafios, até por conta do novo governo estadual que se inicia em janeiro.  Por isso é importante que todos os trabalhadores acessem os meios de comunicação do SINSSP, se apropriem das discussões e participem dos debates para que juntos possamos construir um futuro melhor.

Para ficar informado:

Site: sinssp.org.br

Facebook: @sinsspoficial - https://www.facebook.com/sinsspoficial  

Twitter: @sinsspoficial - https://mobile.twitter.com/sinsspoficial  

Instagram: @sinsspoficial - https://www.instagram.com/sinsspoficial/

YouTube: SINSSP Oficial - https://www.youtube.com/c/Sinsspoficial/about 

Receba as notícias do SINSSP no seu celular: salve o nosso número (11) 98932-9730 e mande um Quero ficar informado para ser cadastrado nos grupos de notícias no Whats'App ou entre no Telegram através do link do grupo de notícias: https://t.me/sinsspoficialnoticias

Curta, comente e compartilhe as nossas redes sociais.

 


SINSSP questiona INSS sobre cancelamento da prova do concurso público e exame periódico dos servidores

O SINSSP se reuniu em audiência com o Presidente do INSS, Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano, na última quinta-feira (01), para questionar a Autarquia sobre o cancelamento da aplicação do exame do concurso público para o INSS na Universidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, e sobre a realização do exame médico periódico dos servidores da ativa.

Após matéria veiculada no site do sindicato na segunda-feira (28/11), clique aqui para ler a matéria, manifestando preocupação com a lisura do concurso público para o INSS, o SINSSP enviou ofício solicitando a audiência com a direção central do Instituto para questionar o que de fato ocorreu e que providencias seriam tomadas visto que a Autarquia sofre com a falta de servidores e represamento dos benefícios e, embora o número de novos servidores que serão contratados após a realização deste concurso seja pequeno, ajudaria os servidores que sofrem com a pressão diária dos mais de 5 milhões de benefícios que aguardam na fila virtual para serem analisados.

O Presidente do INSS informou que o maior problema registrado no dia da aplicação do exame foi na Universidade de Guarulhos, nos demais locais de prova tudo ocorreu dentro na normalidade. Ele ainda afirmou que houve falha por parte da banca que adiou o início da prova o que inviabilizou a realização da mesma.

A direção central também informou que não houve a distribuição dos livros de provas, que permaneceram lacrados, e como no Edital está explicito que as vagas ofertadas seriam por GEX, ou seja, cada candidato faria a prova no local escolhido para trabalhar após a aprovação no concurso, desta forma, os concurseiros que fariam a prova na Universidade de Guarulhos estavam concorrendo a vaga para esta região. Considerando isso, a banca entendeu que a prova poderia ser remarcada e que o concurso não corre o risco de sofrer isonomia.

Segundo informações do Presidente do INSS, a data da aplicação do exame em Guarulhos já foi definida e será no dia 11 de dezembro.  Sendo assim, o resultado para quem fez o exame no dia 28/11 sairá no dia 22/12 e para quem realizar a prova no dia 11 poderá conferir o resultado no dia 30/12. Após os ajustes dessas datas, o cronograma transcorrerá conforme previsto no Edital.

Ao ser questionado sobre o risco de judicialização e isonomia, o Sr Guilherme Gastaldello informou ao sindicato que já acionou a procuradoria para informar o ocorrido. O órgão entendeu que o concurso por ser regionalizado não corre o risco de isonomia.

Exame periódico dos servidores

O SINSSP também levantou a pauta da realização dos exames periódicos dos servidores na audiência com o presidente do INSS e informou que está recebendo informações de que a rede credenciada com a GEAP é muito longe e restrita e há casos de servidor que precisa se deslocar por 400 Km para realizar o exame.

O Presidente informou que ao firmar contrato com a GEAP para realizar esses exames um dos tópicos exigia ter pelo menos uma rede de atendimento na gerência para facilitar a locomoção dos servidores. Porém, nos casos em que não há é porque o servidor já está acostumado a se deslocar para consultas e exames. No entanto, a GEAP deverá fazer convênios e parcerias para aumentar a rede e amenizar esses problemas, que os casos são pontuais e que há uma equipe monitorando e respondendo todas as dúvidas enviadas pelo e-mail disponibilizado para isto, informou Guilherme.

O SINSSP vai acompanhar essa demanda e repassar para a direção do INSS todos os casos que chegar até o sindicato para que sejam solucionados. Desta forma, se você servidor enfrentar alguma dificuldade ou conhecer algum colega nestas condições entre em contato conosco pelos nossos canais de atendimento e informe o seu problema para que possamos relatar ao Instituto e solicitar a resolução.

 


SINSSP oficia SPPREV sobre processo do bônus 2020 dos trabalhadores

O SINSSP oficiou nesta sexta-feira (02) a presidência da SPPREV solicitando informações à respeito do processo da bonificação de resultados referente ao exercício de 2020.

Após a vitória da categoria, que com muita pressão conseguiu o pagamento do bônus referente ao exercício de 2021, a ausência de informações da Autarquia quanto ao pagamento do valor correspondente a 2020 fará com que a mobilização retome ao debate.

Desta forma, após a devolutiva da SPPREV quanto ao ofício enviado nesta sexta-feira, o SINSSP se reunirá com a comissão de trabalhadores que compõe a organização da categoria para discutir as próximas ações adotadas para pressionar a Autarquia pelo pagamento do bônus devido.

Você trabalhador da SPPREV fique atento aos meios de comunicação do sindicato para ficar informado sobre tudo o que está acontecendo na categoria. E se ainda não se filiou ao SINSSP, entidade que está oficialmente representando os trabalhadores da SPPREV, aproveite e filie-se agora clicando aqui, quanto maior o número de filiados, maior a força do sindicato.

Veja abaixo o ofício enviado à SPPREV.

 

Oficio nº 12-2022 - SINSSP - SPPREV Bônus 2020

 


Presidente do SINSSP compõe Equipe Técnica de Transição do Governo Lula

O Presidente do SINSSP - Sindicato dos trabalhadores do Seguro Social e Previdência Social no Estado de São Paulo - Pedro Luís Totti, compõe a equipe técnica de transição do Governo Lula que discute o tema Previdência.

Pedrinho, como é conhecido, é servidor de carreira do INSS desde 1987 e membro da executiva municipal do PT de Piracicaba. Conhecedor profundo dos principais temas que envolve previdência, em especial sobre aqueles da autarquia. É Membro do Consórcio de Sindicatos da Seguridade Social filiados a CUT que tem como base os servidores do INSS.

O SINSSP parabeniza a sua participação na equipe de transição, resultado de todo o enfrentamento que a entidade fez, em conjunto com o Consorcio de Sindicatos da Seguridade Social, denunciando a contratação de militares pelo INSS, o sucateamento do órgão em sintonia com a proposta de privatização da previdência de Paulo Guedes, a falta de concurso público, a utilização da inteligência artificial parar indeferir benefícios, o cerceamento do direito ao cidadão nas agencias do INSS, dentre vários ataques sofridos ao longo desse tenebroso período.

O SINSSP reafirma sua posição em defesa da Previdência!

Veja abaixo a Portaria publicada no Diário Oficial da União.

 

PORTARIA Nº 66, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2022 - PORTARIA Nº 66, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2022 - DOU - nomeação Pedrinho equipe transição governo

 


Divulgação: ato em defesa do SUS

O Movimento Popular de Saúde do Centro (MPSC) está chamando um ato, na próxima quinta-feira (08), às 13 horas, em frente a UBS República (Praça Patriarca), em defesa do SUS, com o apoio de parceiros da região, para protestar contra as condições de saúde da Região Centro.

Faltam medicamentos e insumos nas farmácias das UBS, há falta de médicos de diversas especialidades, faltam hormônios para a população Trans, as filas para consultas e exames são grandes. A alta rotatividade de trabalhadores prejudica o atendimento, interfere negativamente na relação médico-paciente.

O atendimento dispensado ao usuário pela OSS Nova Esperança tem sido causa de agressão aos trabalhadores relatadas nas unidades de saúde.

Se não bastasse, a OSS Nova Esperança, sucessora da OSS IABAS, afastada por inúmeras denúncias, inclusive de desvios, aparece também em novas denúncias do The Intercept. A população tem sido refém destas situações.

O Movimento Popular de Saúde do Centro atua na região há cerca de vinte anos, é filiado à União dos Movimentos Populares de Saúde de São Paulo e à Central dos Movimentos Populares.

A Saúde pede socorro! Em defesa do SUS!

Fonte: release movimento

 


Novembro Azul: vamos falar de prevenção e cuidado?

Depois da campanha do Outubro Rosa onde o MEGAFONE, canal de Podcast do SINSSP, exibiu um episódio sobre uma linda história de superação de uma influenciadora que tem câncer há 15 anos e que vive intensamente se curando todos os dias, chegou a vez de falar do Novembro Azul e conscientizar os homens de que é preciso encarar a doença de frente e cuidar da sua saúde.

A campanha mudou e a cor do laço também, porém o cuidado, a prevenção e a informação permanecem, pois ninguém está livre de ficar doente, não é mesmo? O Novembro Azul é uma iniciativa internacional, teve origem em 2003, na Austrália e traz o debate e a prevenção do câncer de próstata.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre a população masculina no Brasil e é considerado uma doença da terceira idade, pois cerca de 75% dos casos diagnosticados no mundo ocorrem em pacientes com mais de 65 anos de idade.

“O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida”, destaca o INCA.

Que sintomas o câncer de próstata pode provocar?

O Ministério da Saúde informa que o câncer de próstata na fase inicial pode não apresentar sinais ou sintomas. Porém, quando ele se manifesta as reações mais comuns são: dificuldade na hora de urinar, demora quando começa ou ao terminar de urinar, sinais de sangue na urina, diminuição do jato de urina; necessidade de urinar mais vezes que o costume de dia e à noite.

Ao apresentar qualquer um dos sinais e sintomas o homem deve procurar ajuda com o especialista médico para realizar os exames necessários.

Fatores de risco, prevenção e tratamento para a doença

Histórico familiar de câncer de próstata e obesidade são os fatores de risco do câncer de próstata. Embora o paciente geralmente não sinta os sinais e sintomas, a única forma que garante a cura deste tipo de câncer é o diagnóstico precoce.

Daí a importância do homem cuidar da sua saúde mesmo que não tenha nenhum sintoma ou doença aparente, procurando um serviço médico, pois a prevenção é um ato de amor a si mesmo e pode salvar a sua vida.

A população masculina, em especial aqueles que fazem parte dos fatores de risco, deve procurar um urologista a partir dos 45 anos de vida, já os que não fazem parte devem visitar o especialista a partir dos 50 anos. Os exames mais comuns solicitados pelos especialistas são o antígeno prostático específico (PSA) e o toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula.

O diagnóstico precoce para o câncer de próstata, assim como para as demais doenças, é fundamental para aumentar as chances de cura e recuperação. Também é importante a prática de uma alimentação saudável.

Outros hábitos saudáveis também são importantes e devem ser incorporados na rotina diária como a realização de exercícios físicos, manter um peso adequado, controlar a hipertensão, o diabetes, o colesterol alto, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

Embora o tema seja bastante divulgado através da Campanha do Novembro Azul, muitos homens ainda insistem em não procurar o médico para a realização dos exames preventivos. É preciso quebrar a barreira do preconceito, todo homem que esteja na faixa etária recomendada para a prevenção do câncer de próstata, deve procurar um urologista e conversar sobre o tema, pois essa prática ajuda a salvar vidas.

Por isso, tenha atitude, se cuide! Cuidar da saúde também é coisa de HOMEM.

Fonte: Ministério da Saúde

 


A herança do governo Bolsonaro no INSS – mais de 5 milhões de processos parados

A equipe de transição do presidente eleito, Lula, recebeu a informação de que atualmente há mais de 5 milhões de processos aguardando análise no INSS e que o prazo de 45 dias estipulados para resolver o problema já estourou há muito tempo e ao que tudo indica vai continuar assim até o próximo ano, quando houver a troca de governo.

O ex-ministro da pasta, Onix Lorenzoni, já se antecipando para a campanha eleitoral de 2022, garantiu na mídia de que zeraria a fila de espera do INSS até o final deste ano, ele passou o bastão para o servidor de carreira, José Carlos de Oliveira, que ao invés de trabalhar para diminuir o problema, deixou a fila aumentar e bater a marca dos 5 milhões de processos, que estão aguardando por uma resposta do INSS, sendo que muitos destes processos são fundamentais para que seus requerentes possam comprar remédios, pagar por uma moradia, colocar a comida no prato, para se alimentar e alimentar sua família.

A equipe de transição avalia duas medidas para tentar resolver essa situação. A primeira seria recriar o Ministério da Previdência, separando-o do atual ministério “Trabalho e Previdência”, assim teria um Ministério do Trabalho e outro da Previdência Social; a segunda seria devolver a Dataprev para a responsabilidade do Ministério da Previdência.

A Dataprev é a empresa de tecnologia e informação, responsável pela gestão de toda a Previdência Social, inclusive da base de dados sociais do Brasil. Durante o governo de Bolsonaro ela foi transferida para o Ministério da Economia e chegou a ser cotada para a privatização.

De acordo com a colunista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo, pela avaliação da equipe de transição houve uma alteração da função da Dataprev que sofre até hoje com a defasagem técnica e de pessoal, além da falta de preparação para parametrizar o sistema e deixá-lo em conformidade com as novas regras de aposentadoria aprovadas por meio da Reforma da Previdência, a EC 103, promulgada em 12/11/2019.

A herança da fila de 5 milhões do governo Bolsonaro, além de deixar milhões de brasileiros esperando para receber o seu benefício, também gera ônus para o erário, ou seja, outro problema econômico para o país, pois quando começar a pagar esses benefícios terá que ser calculado os juros e a correção monetária do período em que ficou em atraso, conforme garante a lei para o cidadão.

Durante todo esse período o SINSSP vem alertando, com matérias publicadas no site do sindicato e na mídia, e denunciando que as filas não aparecem   mais porque elas migraram para a nuvem, pois trata-se de filas virtuais.

Outro problema também muito denunciado pelo sindicato é a falta da mão de obra no INSS, essa falta de servidores também contribuiu e muito para o aumento dessa fila. O atual governo não investiu em concursos e em novas contratações, mesmo com a aposentadoria de mais de 10 mil servidores após 2018, Bolsonaro e Paulo Guedes não permitiram a realização de concursos públicos, agora em 2022, no apagar das luzes que é que soltaram um concurso, mas com vagas insuficientes para solucionar o problema do INSS.

E para piorar ainda mais a situação, o único concurso que realizou ainda teve problemas por falta de organização, na cidade de Guarulhos a prova foi cancelada no dia da aplicação em uma das unidades, podendo comprometer todo o concurso. (veja a matéria aqui.)

Para agravar, ainda mais, o emaranhado de ações sem eficácia dessa gestão, o número de servidores que pediu aposentadoria por conta da Reforma Previdenciária foi muito grande, deixando o INSS ainda mais debilitado em seu quadro de funcionários.

A única solução dada foi a contratação de militares da reserva que faziam o trabalho dos terceirizados: entregar senha, digitalizar documento, dentre outras tarefas de baixa complexidade, mas que não condiziam com o trabalho desempenhado pelos servidores técnicos e analistas do seguro social, funções estas essenciais para acabar com o problema das filas e que teriam que ser contratados mediante a realização de concurso público.

Outra solução apresentada pela atual gestão foi aumentar o uso da inteligência artificial, mas também sem sucesso. Com a promessa de que os “Robôs do INSS” dariam conta das filas e zerariam a demanda dos pedidos de benefícios sociais com maior agilidade, o que se percebe é que a meta não saiu do papel, pelo contrário, gerou um caos ainda maior, pois aumentou o número de indeferimentos devido a automatização que teve como resultado o disparo dos pedidos de revisão.

Além disso, o governo Bolsonaro focou apenas nos requerimentos de pedidos de benefícios, deixando de lado outros tipos de requerimentos, como por exemplo, recursos e revisões, que se encontram parados e que precisam de servidores especializados e detentores de conhecimento específico para serem analisados e concluídos.

A total falta de preparo dos ministros escolhidos por Bolsonaro e a péssima gestão, misturados com o objetivo de reduzir a máquina pública e desmontar os órgãos públicos resultou nestes mais de 5 milhões de requerimentos represados e que aguardam há meses pela resposta do INSS.

Popularmente falando, Bolsonaro e sua equipe “enxugaram gelo” neste período sem se importar com o cumprimento da Constituição Federal, das leis e com o sofrimento do cidadão.

Esse é o resultado da barbárie cometida contra a nação, uma fila de espera no INSS com milhões de requerimentos parados e a espera de um milagre.

Fonte: Notícias Concursos

 


Prova para o concurso do INSS em Guarulhos é cancelado após atraso e muita desorganização

O desmonte que as instituições públicas vêm sofrendo nos últimos anos refletiu no resultado da desorganização vista neste domingo (27), após o cancelamento do concurso para o INSS na Universidade de Guarulhos, na Grande São Paulo.

A prova, que seria aplicada pelo CEBRASPE, foi cancelada após três horas e meia de atraso. Vídeos postados em redes sociais dos candidatos que foram realizar o exame mostravam o caos que os corredores e as salas da Universidade viraram, uma multidão de pessoas, aglomeradas em pleno avanço da Covid-19 no estado, sem orientação alguma.

De acordo com a reportagem do G1, a polícia militar foi acionada porque os candidatos estariam presos no local da prova sem poder deixar o local e só foram liberados trinta minutos depois dos policiais serem acionados, por volta das 17h15.

Uma postagem do Twitter denunciou que os fiscais estavam mal preparados, que as provas não chegaram e a desorganização foi tanta que as salas e as listas de presença estavam trocadas, muitas com os nomes constando na lista de sala, mas não constavam na lista da porta, falta de informação sobre um atraso de 1h30 para início da prova, dentre outras reclamações.

Outra denúncia feita à reportagem do G1 informou que a entrada dos candidatos seria em horários diferentes, mas os portões estavam fechados em alguns desses horários e quando foram abertos uma nova confusão se formou porque não tinham salas disponíveis para realizar o exame.

O que disseram as entidades envolvidas

A reportagem do G1 entrou em contato com o CEBRASPE, responsável pela realização do concurso público e com o INSS, entidade para a qual os candidatos prestariam o exame.

Em nota, a CEBRASPE disse que o episodio ocorrido na Universidade de Guarulhos foi isolado e que não comprometeu a lisura do Concurso Público. Porém, os candidatos que concorrem ao cargo de Gerência Executiva (GEX) Guarulhos foi suspensa, devido aos fatos relatados na matéria, e que nova data para a aplicação do exame será divulgada por meio de edital específico.

O INSS, em nota, informou que lamenta o ocorrido e esclareceu que para os candidatos que conseguiram realizar as provas neste domingo fica mantida as demais etapas do concurso.

SINSSP pede audiência no INSS para cobrar respostas mais concretas

O SINSSP manifesta repúdio pela falta de organização, preparo e descaso contra os candidatos que realizariam o exame neste domingo. É preciso apurar essas denuncias e cobrar respostas concretas sobre os fatos ocorridos e não apenas divulgar uma nota lamentando o caso.

Esse acontecimento é fruto da forma como a máquina pública tem sido gerida, sem qualquer cuidado e zelo pelo patrimônio que é do Brasil e da população brasileira.

O sindicato não vai deixar esse acontecimento cair no esquecimento e vai cobrar do INSS uma resposta mais concreta. Por esse motivo, enviou um ofício à presidência do Instituto pedindo uma audiência para tratar deste lamentável episódio.

 


CUT SP lança Guia antirracista em combate ao racismo brasileiro

O racismo é uma das mais graves violações de Direitos Humanos no Brasil e está entrelaçado na própria formação da sociedade brasileira. Ele está presente nos locais de trabalho, nas escolas, nas universidades, enfim, em toda a sociedade, ou seja, ele faz parte da cultura brasileira. Sendo assim, precisamos perceber como ele se manifesta e criar resistências para combatê-lo e destruí-lo.

Neste mês da Consciência Negra, a CUT-SP destaca o seu canal de denúncias contra o racismo no local de trabalho em parceria com a Cascone Advogados. O objetivo deste canal é receber denúncias de casos de racismo dentro do ambiente de trabalho e fazer atendimento jurídico gratuito.

Para requerer a assessoria jurídica, as vítimas podem entrar em contato com a Secretaria de Combate ao Racismo da CUT-SP por meio do WhatsApp (11) 94059-0237 ou pelo e-mail bastaderacismo@cutsp.org.br.

A Central Sindical também lançou o Guia Antirracismo, que nasce, neste contexto, para dialogar com os trabalhadores sobre o racismo, orientar sobre os canais de denúncia e fortalecer a luta contra o racismo, a desigualdade e toda e qualquer forma de opressão que atinge a população negra.

Leia abaixo o Guia Antirracista ou clique aqui para visualizar no seu navegador.

 

Cartilha - Basta de Racismo - CUT SP